A SAGA CREPÚSCULO

Esse blog é pra minha filha Lana Tyler, para que ela tenha sempre uma lembrança de uma fase super legal da vida dela...onde personagens de livros e filmes se transformam nos seus amores de verdade.
Ela ama a Saga Twilight e é totalmente Team Edward.
Tem fotos, trechos dos livros e fotos do Robert Pattinson que ela amaaaaaaaa.

TWILIGHT

Loading...

Pesquisar este blog

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

CREPÚSCULO - EDWARD E BELLA NAMORANDO






Posted by Picasa


TRECHOS DO LIVRO CREPÚSCULO - CAPÍTULO 13

"Ele levantou seus olhos gloriosos, agonizantes para os meus. "Você é a
coisa mais importante pra mim agora. A coisa mais importante que eu já tive".
Minha cabeça estava rodando pela rapidez que a nossa conversa mudou de rumo. Do
alegre tópico do meu falecimento impedido, nós de repente estavamos nos declarando.
Ele esperou, e mesmo estando com a cabeça baixa, olhando para as nossas mãos, que
estavam entre nós, eu sabia que seus olhos dourados estavam em mim. "Você já sabe
como eu me sinto, é claro", eu disse finalmente. "Eu estou aqui... que, traduzindo,
significa que eu preferiria morrer do que ficar longe de você". Eu fiz uma careta. "Eu
sou uma idiota".
"Você é uma idiota", ele concordou sorrindo. Nossos olhos se encontraram e eu sorri
também. Nós sorrimos juntos pela idiotice e impossível felicidade do momento.
"E então o leão se apaixona pelo cordeiro..." ele murmurou. Eu escondí meus olhos pra
não mostrar o quanto eles haviam ficado felizes com a palavra.
"Que cordeiro idiota", eu suspirei.
"Que leão doente e masoquista", Ele olhou para a floresta cheia de sombras e eu fiquei
imaginando onde seus pensamentos haviam o levado.
"Porque...?", eu comecei, e então parei por não saber como continuar.
Ele olhou pra mim sorrindo; o sol cintilava no seu rosto, nos seus dentes.
"Sim?"
"Me diga porque você corria de mim antes".
Seu sorriso desapareceu. "Você sabe porque".
"Não, eu digo, o que exatamente eu fiz de errado? Eu terei que ficar de guarda, sabe,
pra aprender melhor o que eu devo fazer. Isso, por exemplo" - eu alisei as costas da
mão dele - "parece ser normal".
Ele sorriu de novo. "Você não fez nada de errado, Bella. Foi minha culpa."
"Mas eu quero ajudar, se puder, pra não fazer isso ser ainda pior pra você".
"Bem", ele pensou por um momento. "É só que você estava muito perto. A maioria dos
humanos é instintivamente timida perto de nós, são repelidos pela nossa alienação...
Eu não estava esperando que você chegasse tão perto. E o cheiro da sua garganta."
Ele parou de repente, olhando pra ver se tinha me aborrecido.
"Tudo bem, então", eu disse alegremente, tentando aliviar a atmosfera tensa que
surgiu. Eu abaixei o queixo. "Nada de expor a garganta".
Funcionou; ele riu. "Não, de verdade, foi mais a surpresa do que qualquer outra coisa".
Ele ergueu a mão livre e a encostou no meu pescoço."

""Mas...", seus dedos tocaram levemente os meus lábios, me fazendo tremer de novo.
"Existem outras fomes. Fomes que eu nem sequer entendo, que são estranhas pra
mim".
"Eu acho que entendo isso melhor do que você imagina".
"Eu não estou acostumado a me sentir tão humano. É sempre assim?"
"Pra mim?" eu pausei. "Não, nunca. Nunca antes disso".
Ele segurou minhas mãos entre as suas. Elas pareciam tão fracas sob o seu aperto de
aço.
"Eu não sei como ficar perto de você", ele admitiu. "Eu não sei se consigo".
Eu me inclinei bem lentamente, avisando ele com o meu olhar. Eu coloquei minha
bochecha no seu peito de pedra. Eu podia ouvir sua respiração, e nada mais.
"Isso é suficiente", eu suspirei, fechando os olhos.
Num gesto muito humano, ele passou um braço por mim e descançou seu rosto no
meu cabelo.
"Você é melhor nisso do que pensava", eu notei.
"Eu tenho instintos humanos- eles podem estar enterrados bem no fundo, mas estão
lá".
Nós sentamos nessa posição por outro momento sem fim; eu imaginei se ele estava
tão sem vontade de se mexer quanto eu. Mas eu podia ver que a luz estava
desaparecendo, as sombras da floresta estavam começando a se aproximar de nós, e
eu suspirei."

Nenhum comentário:

Postar um comentário