A SAGA CREPÚSCULO

Esse blog é pra minha filha Lana Tyler, para que ela tenha sempre uma lembrança de uma fase super legal da vida dela...onde personagens de livros e filmes se transformam nos seus amores de verdade.
Ela ama a Saga Twilight e é totalmente Team Edward.
Tem fotos, trechos dos livros e fotos do Robert Pattinson que ela amaaaaaaaa.

TWILIGHT

Loading...

Pesquisar este blog

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

CREPÚSCULO - EDWARD E BELLA QUEBRANDO TODAS AS REGRAS



Posted by Picasa



TRECHOS DO LIVRO CREPÚSCULO - PÁGS.146


"De três coisas eu estava convicta. Primeira, Edward era um vampiro. Segunda, havia uma parte dele - e eu não sabia que poder essa parte teria - que tinha sede do meu sangue. E terceira, eu estava incondicional e irrevogavelmente apaixonada por ele."
Livro Crepúsculo - pág.146

TRECHOS DO LIVRO CREPÚSCULO - PÁGS.147/ 148

"A neblina era incomum; o ar era quase fumarento. A bruma era gelada onde se grudava na pele exposta de meu rosto e meu pescoço. Eu estava louca para entrar no calor de minha picape. Era uma neblina tão densa que eu estava a pouca distância da entrada de veículos antes de perceber o carro; um carro prata. Meu coração disparou, tropeçou e recuperou o batimento no dobro da velocidade.
Não vi de onde ele veio, mas de repente ele estava ali, abrindo a porta para mim.
- Quer uma carona comigo hoje? -perguntou, divertindo-se com minha expressaõ ao me pegar de surpresa outra vez. Havia incerteza na voz dele. Ele realmente estava me dando alternativas - eu estava livre para recusar, e parte dele esperava por isso. Era uma esperança vã.
-Quero, obrigada - eu disse tentando manter a voz calma."


TRECHOS DO LIVRO MIDNIGHT SUN


“Então ela parou quase derrapando, seus joelhos travando em um solavanco. Sua mochila escorregou pelo seu braço e seus olhos se arregalaram quando focalizaram o carro.
Eu saí, sem me preocupar em me mover numa velocidade humana, e abri a porta do passageiro para ela. Eu não tentaria mais ludibriá-la. Quando estivéssemos a sós, pelo menos, eu seria eu mesmo.
Ela olhou para mim, surpresa novamente, por eu praticamente ter me materializado no meio da névoa.
E então a surpresa em seus olhos se tornaram em outra coisa, e eu não estava mais temeroso – nem esperançoso – que seus sentimentos por mim tivessem mudado durante o curso da noite. Calor, preocupação, fascinação, tudo nadando no que era o chocolate derretido dos seus olhos.
“Quer ir de carona comigo hoje?” Eu perguntei. Ao contrário do jantar na última noite, eu a deixaria escolher. De agora em diante, seria sempre a escolha dela.
“Sim, obrigado,” ela murmurou, subindo no carro sem hesitar.
Algum dia eu deixaria de me surpreender pelo fato de ela dizer sim para mim? Eu duvidei."

Um comentário: