A SAGA CREPÚSCULO

Esse blog é pra minha filha Lana Tyler, para que ela tenha sempre uma lembrança de uma fase super legal da vida dela...onde personagens de livros e filmes se transformam nos seus amores de verdade.
Ela ama a Saga Twilight e é totalmente Team Edward.
Tem fotos, trechos dos livros e fotos do Robert Pattinson que ela amaaaaaaaa.

TWILIGHT

Loading...

Pesquisar este blog

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

CREPÚSCULO - TRANSFORMAÇÃO DE EDWARD E ESME







TRECHOS DO LIVRO CREPÚSCULO - CAPÍTULO 14


"Ele suspirou, e olhou pra os meus olhos, parecendo se esquecer completamente da
estrado por um tempo. O que quer que ele tenha visto lá deve ter encorajado ele. Ele
olhou para o sol - a luz do por do seu fez ele brilhar como um rubi - e ele falou.
"Eu nasci em Chicago, em 1901". Ele parou e olhou para mim pelo canto dos olhos.
Meu rosto estava cuidadosamente insurpreendido, pacientemente esperando pelo
resto. Ele deu um pequeno sorriso e continuou. "Carlisle me encontrou em um
hospitam em 1918, eu tinha dezessete anos e estava morrendo com a gripe
Espanhola".
Ele ouviu quando eu prendí o fôlego, apesar do som ter sido baixo até para os meus
próprios ouvidos. Ele olhou para os meus olhos de novo.
"Eu não me lembro muito bem- já foi há muito tempo e as memórias humanas
desaparecem". Ele ficou perdido em pensamentos por um breve período de tempo e
então continuou. "Eu me lembro de como eu me sentí, quando Carlisle me salvou. Não
é uma coisa fácil, algo que você esquece".
"Seus pais?"
"Eles já tinham morrido com a doença. Eu estava sozinho. Foi por isso que ele me
escolheu. Como todo aquele caos da epidemia, ninguém se deu conta de que eu tinha
desaparecido".
"Como foi que ele... te salvou?"
Alguns segundos se passaram antes que ele respondesse. Ele parecia estar escolhendo
as palavras cuidadosamente.
"Foi difícil. Nem todos de nós tem controle suficiente pra completar a transição. Mas
Crlisle sempre foi o mais humano, sempre o que teve mais compaixão entre nós...Eu
não acho que você encontraria outra pessoa igual a ele em toda a história". Ele parou.
"Pra mim foi meramente muito, muito doloroso".
Eu podia ver pelos seus lábios que ele não falaria mais nada sobre esse assunto. Eu
suprimi minha curiosidade, apesar dela não estar nem um pouco saciada. Haviam
ainda muitas coisas sobre esse assunto nas quais eu precisava pensar, coisas que
estavam apenas começando a aparecer na minha cabeça. Sem dúvida, sua mente
rápida já havia compreendido cada aspecto que ainda me confundia.
Sua voz suave interrompeu meus pensamentos. "Ele agiu por causa da solidão.
Geralmente essa é a razão por trás da escolha. Eu fui o primeiro da família de Carlisle,
apesar dele ter achado Esme logo depois. Ela caiu de um abismo. Eles levaram ela
direto para o necrotério do hospital apesar de, de alguma forma, o coração dela ainda
estar batendo".
"Você precisa estar morrendo, então, pra se tornar um...", eu nunca havia pronunciado
a palavra, e não conseguí falá-la agora.
"Não, isso é só com Carlisle. Ele nunca faria isso com alguém que tem outra escolha".
O respeito na voz dele era sempre muito profundo quando ele falava na sua figura de
pai. "Contudo, ele diz que é mais fácil", ele continuou.
"Se o sangue estiver mais fraco", ele olhou para a estrada agora escura, e eu pude
sentir que ele estava fechando o assunto de novo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário